20.11.04
Quem me conhece sabe que um dos meus hobbies favoritos é a leitura, e desde sempre (mesmo antes de saber ler) a BD.

Compro BD desde que me conheço (convenci desde os 10/12 anos as minhas avós a darem-me uma mesada, a qual na altura dava para comprar alguns dos livros editados pela Abril com as histórias da Marvel e da DC). Foi assim que construi a minha coleção. Mais tarde descobri os originais, e acabei por comprá-los. Hoje leio ainda um número considerável mas já não gasto quase dinheiro nenhum com eles (a minha namorada fazia-me uma cara feia, e levou-me a desistir).

Gosto de Bd pela mesma razão porque gosto de ler. Cativa-me o interesse, puxa pela imaginação, adoro algumas das peronagens e espero sempre para ver qual a "aproach" dos diferentes artistas às mesmas personagens. Sei o que esperar duma história dos X-men (ou sabia, hoje em dia já perdi a noção do que posso contar, são tão diferentes das histórias dos anos 70/80 e princípios dos noventa que devorei), ou dum Homem Aranha (houve quem me tenha dito que não gostou do Homem Aranha 2 - é porque nunc aleu a BD, este filme é extremamente fiel ao espírito da BD). E por aí adiante.



MAs há uma coisa que me atrofia o sistema. A morte. Algumas das melhores histórias de BD são aquelas que acabam (ou começam) com a morte de algum herói ou personagem principal.

Á minha memória vêm-me a Saga da Fénix Negra, Morte do Super-Homem, Watchmen, entre outras. No entanto, fico extremamente chateado quando ao fim de alguns anos os mortos ressurgem como se nada fosse - ainda o ano passado o Magneto foi morto e ao final de 1!!!, leram bem 1! mês estava vivnho da silva e continua. Jean Grey morreu há cerca de um ano, mas ainda este ano ou no início do ano que vem ela volta!

A morte devia ser uma coisa definitiva! Se a personageme está gasta, se não faz dinheiro então mata-se! Mas cum catano, deixem-na morta! A primeira vez (dentre umas 50 sem exagero) a Saga da Fénix Negra fiquei em estado de choque. Aquela era uma persongem que tinha crescido comigo e dum momento para o outro desapareceu. Mas fez sentido, mostrou-me a humanidade das personagens, ensinou-me algumas verdades sobre o poder, amor, sacrifício. Enfim é uma das melhores sagas em BD (John Byrne e Chris Claremont são os autores, para quem não saiba, e é o nome duma arc-story da revista dos X-Men).

Fico farto quando as personagens ao fim dum tempo voltam ou quando os artistas decidem matá-las porque o pessoal gosta, e se for caso disso voltamos ao primeiro ponto, ela volta!!!



É nisto que dá quando o home se torna em deus ex-machina, e não estou a falar só de BD. Mas na BD eles voltam, na vida real...

publicado por wherewego às 15:07

mais sobre mim
Novembro 2004
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

15
16
18


28


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2004:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
comentários recentes
"Pandev nao mentiu" "Pandev no mintió"
Jornalistas desportivos madrilenos desrespeitam DI...
Don Andrés Amorós Guardiola.....¿Mourinhista?
forcinha amigo :)
se calhar eles arrumam as coisas por secções: mass...
olha que tu também tens as tuas taras a arrumar co...
Já eu tenho no policial um dos meus géneros de ele...
Policiais nunca foi algo que me atraísse muito par...
Na minha opiniao, investir em gato fedorento é sem...
ah... a riqueza de descrever as coisas simples! go...
blogs SAPO