02.10.08
Leio em vários blogs ( Da Literatura, Blogtailors, Qualquer Coisa Assim e Os Livros Ardem Mal) que a FNAC vai dar o passo atrás nos 10% de desconto, dando-os somente aos que tenham o cartão de cliente.
Continuo a achar que muitas lojas e empresas funcionam deste modo: começam por oferecer mundos e fundos, e depois de terem os clientes habituados borram a pintura. Se calhar agora já ninguém se lembra do motto da FNAC quando aterrou cá pelo burgo. Preço Mínimo Garantido, se encontrar mais barato devolvemos a diferença. Deve ter durado dois ou três anos.
Assisti, boquiaberto, à altercação entre um cliente e um gerente de loja. A resposta foi mais ou menos esta. "Tivesse procurado bem antes de comprar, comprou aqui porque quis". Dito num tom, mais ou menos, hostil e pouco dado a entendimentos.
Ouvi, calei e decidi que algumas coisas só compraria depois de analisar os preços em mais dois ou três lados (nomeadamente DVDs). Se há produtos em que o preço compensa, outros há que... Sou, cada vez mais, adepto do Ebay, da Amazon e de outras lojas on-line.
Acredito que 250.000 clientes será uma boa base de negócio para a FNAC. Para estes continuará a fazer o descontinho. Os outros só compram lá se quiserem.
Eu continuarei a ir lá, mas provavelmente não gastarei tanto dinheiro. A FNAC continua a ser uma razoável montra de produtos, se os comprarei lá ou não é uma outra questão. Não me impingem cartão algum, disso podem ter a certeza.
Se a escolha é entre comprar ali ou noutro local qualquer, mesmo depois de desbaratada a concorrência, eu prefiro alimentar a concorrência. Nem que seja por casmurrice. Tenho fama de teimoso. Já agora, tenho também o proveito.

PS: como é que os 10% eram feitos? É que o mesmo livro, cd ou DVD chegava a ter, entre lojas FNAC, diferenças que iam dos cêntimos aos euros. Teimoso, sim, parvo? Só a cara.
publicado por wherewego às 12:47

01.10.08
Ó Amor, isto até parece cientificamente credível. Pelo menos as nossas acertou, não?




BLUE

You give your love and friendship unconditionally. You enjoy long, thoughtful conversations rich in philosophy and spirituality. You are very loyal and intuitive.

Find out your color at QuizMeme.com!

publicado por wherewego às 18:46

Single do mais recente álbum de Jovanotti - Fango.



publicado por wherewego às 12:35

Eu estou na dúvida sobre se escrevo alguma coisa ou não. Não vi o jogo. Felizmente...
De qualquer modo, muito do que penso já escrevi aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

Concluindo: a culpa nem é só de Jesualdo. 3 anos é demais.
Jesualdo deixa muito a desejar. Tem o mesmo discurso tanto nas derrotas como nas vitórias. É fraco, muito fraco. O Porto não cria lances perigosos de bola parada há muito tempo. A defesa é uma manta de retalhos.
Mesmo com Quaresma em 90 minutos víamos um canto perigoso. Agora, sem Quaresma, nem 1.
Sou daqueles que prefere ver bons jogos de futebol, mesmo que percamos os jogos. O ano passado desliguei muitas vezes a tv ou adormeci à frente dela. Este ano, felizmente, não tenho SporTV.
Jesualdo tem medo, desde o primeiro derby pelo Porto, dos jogos grandes. Nunca fez muito para os ganhar. Ter Ibson emprestado, numa altura em que o meio-campo é o que é, não é um crime, é pura estupidez.
Não gosto de Jesualdo, é patente. Para aqueles que ficam contentes com a vitória nos campeonatos, pergunto se esqueceram as miseráveis prestações nas taças nacionais nos últimos 3 anos?
Mais podia dizer, mas é chover no molhado. Já perdi tempo demais.
4-0 é demais. Para isto podíamos nem ter ido à Liga dos Campeões.
publicado por wherewego às 12:15

Olhou para o local que tinha sido a sua casa nos últimos 15 anos.
Ali tinha passado toda a sua vida. Crescera, chorara, rira. Conhecia cada canto.
Olhando para a casa vazia pensava na distinção muito anglo-saxónica entre house e home.
Mesmo vazia aquela casa era mais do que uma casa.
Em frente a uma das janelas olha a rua em frente. Vê o Sr. Janeiro a passear o cão, o vizinho Frade a limpar compulsivamente o carro, vê a Dª Catarina sentada à janela, tirando mentalmente notas para a conversa com as outras velhotas, no café.
A sua casa, o seu lar não tinha só paredes, começava na rua, 50 metros acima, e terminava lá em baixo, na praceta. Começava no R/c e terminava no 3º andar. O seu lar começava nas caras que tinham um nome, e mesmo naquelas em que o ignorava.
O seu lar começava na vizinha que lhe abria a caixa do correio, com a chave dela (!), "Hoje tens uma carta!". Continuava na bola que era chutada pelo puto de cima, no som da aranha, a percorrer a casa, da irmã mais nova dele. Continuava nos amigos que lhe tocavam à porta para irem juntos no autocarro para a escola. O seu lar terminava ali.
A sua casa seria outra agora, noutro local, com novas caras, novos limites, novas manias. Demoraria tempo até ser novamente um lar.
Mesmo com os mesmos móveis.
publicado por wherewego às 11:51

mais sobre mim
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
15
17
18

19
20
21
24
25

26
27
30
31


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2004:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
comentários recentes
"Pandev nao mentiu" "Pandev no mintió"
Jornalistas desportivos madrilenos desrespeitam DI...
Don Andrés Amorós Guardiola.....¿Mourinhista?
forcinha amigo :)
se calhar eles arrumam as coisas por secções: mass...
olha que tu também tens as tuas taras a arrumar co...
Já eu tenho no policial um dos meus géneros de ele...
Policiais nunca foi algo que me atraísse muito par...
Na minha opiniao, investir em gato fedorento é sem...
ah... a riqueza de descrever as coisas simples! go...
subscrever feeds
blogs SAPO