27.02.08

O Segredo, por si só, já é um nome demasiado corriqueiro, ainda para mais quando o filme que vi tem como nome original, THE NUN. Ora, isto, meus caros, é um nome à maneira, A FREIRA, mas não, a criatura esquisita e tonta que dá os nomes em português deve ter decidido que A Freira não era um nome muito apelativo. Então decidiu-se por O Segredo.
O que é pena, porque assim uma das poucas coisas que vale a pena, o título, não existe em português.

A Freira é um filme sobre uma vingança, a de uma freira morta há 30 anos para com aquelas que a mataram. Está tudo dito. Ah, e é em Espanha, mas podia não ser. Podia ser no Uzbequistão, que funcionava à mesma.

A Freira é teoricamente um filme de terror. Teoricamente, por várias razões.
Primeira, porque tenta, mas não mete medo. Um episódio de Supernatural causa mais pele de galinha do que este filme. Não mete medo, não assusta, tem suspense, mas pouco.

Em segundo lugar, os filmes de terror devem muito do seu segredo à premissa e à forma como são realizados. A premissa parece-me engraçada, a realização nem por isso. Metam o senhor a realizar outra coisa qualquer, mas não um filme de terror.

Terceira, os actores. Imaginem ver um filme de terror com actores dos Morangos. Pois... Foi essa a minha sensação. Não são muito expressivos, nem convincentes.

Quarta, a água. O filme mete água ao barulho, o fantasma da Freira está associado à àgua. Compare-se as cenas deste A Freira com as de Dark Water de Hideo Nakata e veja-se a distância enorme que existe entre um e outro. No último conseguimos sentir um ligeiro formigueiro, no A Freira parece que estamos perante um filme catástrofe dos anos 70 e vai haver uma ou outra inundação.

Há coisas boas? Deve haver. Mas, não são muitas. Não desgostei assim tanto do argumento, não é bom, mas podia ser um filme engraçado de série z. Há duas mortes que são gráficas, e que sinceramente não acrescentam nada. Oops, estava a falar das coisas boas...

hum...o final é ligeiramente engraçado, mas... é muito espanhol, já vi aquilo em filmes de terror espanhóis umas três ou quatro vezes. E nunca me pareceu convincente. Engraçado. Medianamente surpreendente. Mas forçado como o raio.
Cada vez mais que convenço que cada vez gost mais de filmes asiáticos. Principalmente, dos de terror.

publicado por wherewego às 09:44

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



mais sobre mim
Fevereiro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
16

17
21
23

24
29


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2004:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
comentários recentes
"Pandev nao mentiu" "Pandev no mintió"
Jornalistas desportivos madrilenos desrespeitam DI...
Don Andrés Amorós Guardiola.....¿Mourinhista?
forcinha amigo :)
se calhar eles arrumam as coisas por secções: mass...
olha que tu também tens as tuas taras a arrumar co...
Já eu tenho no policial um dos meus géneros de ele...
Policiais nunca foi algo que me atraísse muito par...
Na minha opiniao, investir em gato fedorento é sem...
ah... a riqueza de descrever as coisas simples! go...
subscrever feeds
blogs SAPO