10.02.06
Já acabei the Sevillhe Comunion (A pele do tambor) de Artur Perez Reverte. Foi a primeira vez que li um livro do autor em outra língua que não o nosso português, e devo confessar que demorei mais tempo do que o normal, ainda que tenha gostado bastante.
A Tábua de Flandres e Clube Dumas são dos livros que mais estimo, pelo prazer da leitura, pela aventura policial no meio dos livros, dos quadros, da arte, pela intriga.
Este Pele do Tambor é tanto mais interessante porque paira no reino do sobrenatural, sem no entanto o fazer realmente. Numa igreja morrem dois homens, em dias diferentes. A Santa Sé envia um dos seus homens a investigar o caso. A Igreja encontra-se no meio duma disputa entre a família que a doou e um banqueiro que a quer demolir e construir ali um complexo turístico.
A Pele do Tambor é também um hino de amor a Sevilha, à cultura sevilhana, às laranjas amargas, às sevilhanas, às touradas, às tapas...
Amor, sexo, ambição e padres, no meio disto tudo a possibilidade de Deus estar a agir através do seu modo especial, ah! e há fantasmas, mas não daqueles que nos assustam...daqueles que carregamos uma vida inteira!
publicado por wherewego às 20:59

mais sobre mim
Fevereiro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
13

19
20
21
24

26
27
28


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2004:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
comentários recentes
"Pandev nao mentiu" "Pandev no mintió"
Jornalistas desportivos madrilenos desrespeitam DI...
Don Andrés Amorós Guardiola.....¿Mourinhista?
forcinha amigo :)
se calhar eles arrumam as coisas por secções: mass...
olha que tu também tens as tuas taras a arrumar co...
Já eu tenho no policial um dos meus géneros de ele...
Policiais nunca foi algo que me atraísse muito par...
Na minha opiniao, investir em gato fedorento é sem...
ah... a riqueza de descrever as coisas simples! go...
blogs SAPO